Projetos de Engenharia em Belo Horizonte

Os Projetos de Engenharia em Belo Horizonte apoiam o mapeamento de problemas e geram soluções otimizadas para todos os requisitos da empresa.

Nesse sentido, consistem em processos de tomada de decisão interativos, o que significa que devem ser capazes de melhorar continuamente.

Esses processos são projetados para transformar recursos em produtos que atendam a necessidades e propósitos específicos da melhor maneira possível.

Os quatro tipos de projetos de engenharia civil são projeto de prevenção e combate à incêndio, estrutural, arquitetônico e elétrico.

Cada um desses projetos requer amplo conhecimento de matemática, mecânica e física, além da capacidade de resolver problemas de forma criativa.

Quem é o responsável por fazer o acompanhamento desse projeto?

O formato de cada empresa no setor civil pode variar. Entretanto, cabe ao engenheiro civil projetar, gerenciar, supervisionar, controlar e tomar decisões assertivas nos Projetos de Engenharia em Belo Horizonte.

Ele é o profissional formado e associado ao CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura), que atesta sua capacidade e responsabilidade técnica sobre as obras que estiver envolvido.

Quais são as etapas de um projeto civil?

De forma breve, um projeto deve ter basicamente 7 etapas para se concretizar.

Como a construção civil envolve muitos agentes e áreas da engenharia e arquitetura, se faz extremamente necessário que eles estejam integrados e que conversem entre si. Por isso é tão importante fazer um gerenciamento de obras eficiente.

As etapas são:

  • levantamento topográfico
  • sondagem do solo
  • projeto de arquitetura
  • projeto estrutural
  • projeto elétrico
  • projeto hidrossanitário
  • projeto de segurança contra incêndio e pânico

Projeto de Prevenção e Combate à Incêndio

Toda edificação que tenha uma alta circulação de pessoas precisa ter o projeto de combate e prevenção ao incêndio. Esse projeto é criado e assinado por um profissional especializado para a atividade e deve obedecer às normas de segurança estabelecidas na lei.

Só um profissional capacitado saberá elaborar o projeto de forma segura e apoiado nas exigências tanto do Corpo de Bombeiros como da legislação em geral.

O objetivo de um projeto preventivo contra incêndio é fazer com que o local seja o mais seguro possível. Dessa forma, o projeto visa prevenir de todas as formas possíveis os riscos de incêndio e acidentes.

Projeto Estrutural

Analisar e projetar a construção de pontes, torres, edifícios, barragens e muito mais é o trabalho de um engenheiro estrutural. Essas estruturas precisam ser construídas de maneira a torná-las seguras, sustentáveis, econômicas e um tanto agradáveis aos olhos.

Assim como a engenharia de construção e gerenciamento, a engenharia estrutural usa matemática e física para fazer o trabalho. Usando matemática e física, os engenheiros podem ver se todas as partes do projeto têm força suficiente para suportar cargas, determinar a vida útil das estruturas e ver se a estrutura é estável.

Dos 4 tipos de Projetos de Engenharia em Belo Horizonte, a engenharia estrutural desempenha o maior papel no design e seleção de materiais para um projeto.

Projeto Arquitetônico

Segurança

É o item mais importante, segundo os entrevistados. Ter alguém para se responsabilizar por todo o processo e contar com mão de obra especializada são atributos que validam a importância de um projeto arquitetônico.

Conforto

Outra característica que mostra a importância de um projeto arquitetônico. Ter um projeto como guia, além de um profissional coordenando todo o processo é vital para quem contrata um arquiteto.

Custo-benefício

Um projeto arquitetônico bem feito evita erros, desperdício de materiais e dinheiro, resultando em um ótimo custo-benefício.

Projeto Elétrico

Ao optar por construir uma casa, você descobrirá que é necessário investimento para que saia tudo como você sempre quis, e assim, você tenha a casa dos seus sonhos.

O projeto elétrico é um desses investimentos que você deverá fazer, para que tenha certeza que tudo em seu projeto está em harmonia e bem planejado.

Com ele, você terá a certeza de que poderá utilizar de forma normal e segura todos os equipamentos elétricos e eletrônicos da sua casa sem medo de que ocorra algum problema com sua rede elétrica.

Ao abrir mão desse investimento, você colocará em risco sua família e os eletrodomésticos de sua casa, pois com o dimensionamento de carga incorreto os mesmos poderão queimar e causar grandes transtornos, algo que com o projeto elétrico, será previsto e corretamente dimensionado para que não ocorra.

Em quais tipos de projetos os engenheiros civis trabalham?

Análise ou projeto padrão

Em um projeto padrão de análise ou design, os engenheiros civis escrevem relatórios e criam alguns desenhos para o projeto.

Embora nem sempre sejam solicitados, os engenheiros civis podem ir além e elaborar mais de uma ideia. Isso significa que pode haver uma discussão adequada sobre qual design ou ideia é mais adequado para o projeto e por quê.

Exemplos desse tipo de projeto são os principais projetos hídricos, a análise da capacidade das rodovias e a melhoria da drenagem de tempestades.

Dos quatro tipos de projetos de engenharia civil, a engenharia estrutural se enquadrava mais nessa categoria.

Desenvolvendo Novas Soluções

Em um projeto sobre o desenvolvimento de novas soluções, você precisa entender qual é o problema inicial, escrever uma proposta sobre como resolvê-lo, testá-la e verificar se o problema foi resolvido.

Conclusão

A engenharia civil construiu muitas das estruturas que vemos todos os dias. Pontes, estradas, represas, ferrovias, rodovias e muito mais foram criadas por engenheiros civis. Dizer que eles têm um enorme impacto em nossas vidas seria um eufemismo.

Existem muitos tipos de Projetos de Engenharia em Belo Horizonte, mas cada um tem um papel importante a desempenhar. Sem esses projetos, nossa sociedade não chegaria nem perto de ser tão avançada quanto agora.

Projetos de Engenharia em Belo Horizonte? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Ficou com alguma duvida? Para mais informações nos consulte:

https://w-lopes-engenharia-ltda.negocio.site/?m=true

Contratação de Obras ou Projetos em BH

Contratação de Obras ou Projetos em BH. Existem diferentes formas de contratar serviços de engenharia. As diferentes formas de contrato possuem vantagens e desvantagens, e elas serão escolhidas de acordo com o cenário encontrado, por exemplo: se há projeto executivo; se há memorial descritivo com especificação adequada de materiais; as possíveis condições de pagamento, se cliente irá se responsabilizar pelo fornecimento dos materiais, dentre outras.

 

Contratação de Obras ou Projetos em BH? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Contrato por empreitada global:

O contratado (empreiteiro, construtor) se responsabiliza por executar uma obra fornecendo mão de obra e materiais. Seu preço é global (podendo ou não haver reajustes de preços). Se o trabalho puder na prática ser realizado com economia de mão de obra ou material, essa vantagem fica com o empreiteiro. Se a obra resultar mais difícil, ou mais cara, isto também é de reponsabilidade do empreiteiro, que não repassa os acréscimos de preço ao dono da obra.

Contrato por empreitada de mão de obra:

O contratado (empreiteiro construtor) responsabiliza-se globalmente pelo fornecimento de toda mão de obra. O dono da obra fornece, sob sua responsabilidade, o material. Se a obra exigir mais mão de obra do que o previsto pelo empreiteiro, este fornecerá, sem ônus, esse adicional. Se o trabalho puder ser feito com menos mão de obra, a vantagem fica com o empreiteiro.

Contrato por administração:

O contrato apenas administra o custo da obra (materiais + mão de obra) sem no entretanto se responsabilizar pelos valores resultantes. A obra dará o que der. Conforme foi gastando, o dono da obra vai pagando o custo dos materiais e a folha de salários. A remuneração do contrato (engenheiro, arquiteto, construtor) ou é por hora dispendida ou é por porcentagem sobre o valor da obra.

Na engenharia de projeto há uma forma toda específica de serviço que é chamada de “cost plus fee” que não deixa de ser um tipo de contrato de administração. Nesse contrato o cliente paga as horas gastas pelo pessoal técnico (engenheiro, projetista, desenhista, etc.).

Para saber o preço de venda da hora de cada profissional, é usado a fórmula:

Preço de venda de 1 homem x hora = (Salário x 12 x k1 x k2) / 2.000

Onde:

Salário = é o salário mensal de carteira de cada profissional

12 = número de meses do ano

K1 = coeficiente de leis sociais (~1,5)

K2 = despesas de administração e lucro (~1,9)

2.000 = número de horas trabalháveis por ano (variável de firma para firma)

Contrato por preços unitários:

Usa-se esse tipo de contrato quando conhecem os tipos de trabalho a executar, mas não se tem certeza da quantidade de cada trabalho. Assim o contrato fixa a remuneração (preço unitário) de cada trabalho. Para se obter o que pagar, multiplica-se o preço unitário pela medição do trabalho efetivamente feito.

 

Contratação de Obras ou Projetos em BH? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Ficou com alguma duvida? Para mais informações nos consulte:

Obras e Reformas em BH

Qualquer reforma levantará várias questões: materiais, habilidade, tempo, etc. Outra questão importante é o tipo de especialistas a serem contratados, inclusive se há necessidade de engenheiros nos canteiros de obras. Aqui na WLopes além de possuirmos um serviço completo de Obras e Reformas em BH, priorizamos o cliente, com atendimentos personalizado e especialidade durante os quase 30 anos de nossa trajetória.

O especialista da Engenharia é responsável pela pesquisa de infraestrutura. Para saber mais sobre o campo de especialização e quando contratar uma empresa para a realização de reformas ou obras.

Quais são as responsabilidades do engenheiro de Obras e Reformas em BH?

O engenheiro de obras é responsável por avaliar o procedimento da Obras e Reformas em BH. Ele faz o planejamento, gere os recursos, coordena os demais profissionais. Além disso, realiza testes e estuda o terreno e a construção, visando garantir a segurança e o prosseguimento da reforma.

É preciso tomar cuidado para não confundi-lo com o arquiteto. O arquiteto está mais ligado ao planejamento do local: em como aproveitar a iluminação natural, manter a circulação de ar, planejar o tamanho dos cômodos e confeccionar a planta do imóvel. Já o engenheiro de obras está mais próximo do campo de obras, encarregando-se também da parte hidráulica e de cálculos estruturais — para que não ocorra nenhum acidente.

O que exigir da empresa de Obras e Reformas em BH?

A primeira coisa que se leva em consideração é sempre a garantia oferecida, afinal, ninguém quer arcar com altos custos duas vezes. Mas, será que só a garantia oferecida é suficiente para o sucesso de uma Obra e Reforma em BH?

Infelizmente não, afinal, um certificado de garantia só é válido se a empresa em questão puder honra-lo.
E é aí que entram nossas dicas para que você não tenha dores de cabeça depois da reforma contratada. Acompanhe conosco todos os documentos que podem certificar o sucesso da sua obra!

Em processos licitatórios para obras públicas, a exigência de vários documentos é prática comum. No entanto, clientes privados também podem (e devem!) exigir comprovações das empresas que atestem sua situação financeira, fiscal e técnica, por exemplo.

Não esqueça tambem da:

1. Habilitação jurídica
2. Saúde financeira
3. Garantias aos trabalhadores
4. Garantias Civis
5. Regularidade fiscal
6. Qualificação técnica
7. Experiência
8. Qualificações e documentos específicos

Quais são as diferenças entre construção e reforma?

A reforma tem como principal característica a preservação da planta e da atual estrutura do imóvel, ou seja, os projetos que somente alterem de forma externa o local. Configura como reforma, por exemplo, a pintura dos ambientes, a troca de azulejos e de revestimentos, a troca de luminárias e a fixação de prateleiras.

De maneira análoga, as construções alteram a estrutura da propriedade. Nesses casos, as plantas precisam ser modificadas, e é necessário fazer um estudo aprofundado para evitar acidentes e o comprometimento do local. São consideradas construções o levantamento ou a remoção de paredes, a abertura de janelas, a remoção e a elaboração de laje ou qualquer obra que possa sobrecarregar a estrutura do imóvel.

Quando é preciso contratar um engenheiro de Obras e Reformas em BH?

Em geral, especialistas recomendam contratar um engenheiro antes de iniciar as obras. Ele é responsável pelas orientações na hora de comprar os materiais, sabe como proceder na obra ou como, de fato, realizar a reforma ou a construção.

Pode acontecer de a reforma e construção que você deseja fazer no imóvel não ser viável devido à infraestrutura do local, e nessas horas o engenheiro pode lhe orientar.

No entanto, a contratação de um profissional não é obrigatória. Ela só é exigida quando há alterações na estrutura do imóvel, ou seja, quando é uma construção. Nesse caso, é preciso contratar um profissional para realizar uma inspeção e emitir um alvará de modificação.

Caso a obra seja em um prédio residencial, o condômino precisa apresentar o projeto para o síndico. Se houver uma alteração na estrutura do prédio, o síndico precisa requisitar a inspeção de um engenheiro ou arquiteto. Esses profissionais averiguam e emitem os documentos necessários. Além disso, é preciso contratar um profissional para acompanhar o andamento da Obras e Reformas em BH.

O engenheiro de obras é um profissional responsável por avaliar diversos aspectos no canteiro de obras. Atua desde os cálculos para ver a situação da estrutura até a gestão dos recursos e o acompanhamento no canteiro.

Contar com esse profissional pode ser fundamental para que a reforma ou a construção tenha um bom andamento. Mas, vale ressaltar, a sua contratação só é obrigatória caso haja mudanças na estrutura e na planta original do imóvel.

 

Necessita de Obras e Reformas em BH? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Ficou com alguma duvida? Para mais informações nos consulte:

 

Soluções de Engenharia e de Arquitetura em BH

Soluções de Engenharia e de Arquitetura em BH:

Você ja parou para se perguntar: oque escritórios de Engenharia e Arquitetura vendem para o mercado? O que é que os clientes de fato procuram quando entram em contato conosco? Talvez a resposta mais comum seja: “projetos”, “consultorias”, “assessoramento técnico”, “laudos técnicos”, “administração ou acompanhamento de obras”… Mas, seja qual for a resposta, pode ser reduzida ao seguinte: SOLUÇÕES DE ENGENHARIA ou SOLUÇÕES DE ARQUITETURA . É isso o que nós vendemos.

Empresas de engenharia ou arquitetura, sejam do tamanho que forem são, essencialmente, Usinas de Processamento de Informação, produzindo Soluções de Engenharia (ou de Arquitetura). Esse é o nosso produto.

A quase totalidade das pesquisas realizadas no Brasil que tangenciam o exercício profissional da Engenharia e Arquitetura está ligada muito mais às questões relativas à construção civil do que à Engenharia e Arquitetura propriamente ditas.

Muitos trabalhos reconhecidos e referenciados como sendo relativos às práticas gerenciais de Engenharia e Arquitetura são, na verdade, sobre práticas gerenciais de empresas de construção civil ou de instalações industriais.

Organizações de serviços profissionais de Engenharia são frequentemente confundidas na literatura com empresas cujos produtos são engenheirados. Assim, é comum que as pessoas se refiram às empresas de construção civil, por exemplo, ou a empreiteiras de obras públicas – como estradas e pontes – como se fossem empresas de Engenharia, o que não é correto. A engenharia entra nesses produtos finais (casas, edifícios, pontes, estradas) como um insumo. Uma matéria prima. Por mais importante que seja para o resultado final da obra, não se deve deixar de perceber que a participação da Engenharia nos custos totais dessas obras raramente ultrapassa 10%, como pode ser constatado em diversos documentos que relacionam os custos das obras com os custos de serviços de Engenharia.

Além disso, e apenas para não deixar dúvidas sobre esse detalhe, demonstrando que essa visão não passa de um equívoco cultural, basta observar que ninguém considera uma fabrica de aviões como uma empresa de Engenharia, apesar de seu produto final ser tão engenheirado, quanto uma obra de construção. O mesmo raciocínio pode ser adotado para analisar um estaleiro, ou uma fábrica de automóveis.

Empresas de Engenharia são, portanto, empresas cujo produto final é um serviço, como projeto, consultoria, assessoria técnica, acompanhamento, fiscalização e um conjunto de outras atividades previstas pela lei 5.194, de 24/12/1966. Cabe ainda ressaltar que muitas empresas realizam serviços de Engenharia, ainda que não sejam empresas de Engenharia. Por outro lado, empresas de Engenharia realizam serviços que não são, necessariamente de Engenharia. Assim, conclui-se que empresas de Engenharia, ou empresas de projeto de Engenharia (também chamadas empresas de Engenharia de projeto ou empresas de Engenharia consultiva) são aquelas dedicadas à atividade de Engenharia e que têm, nessa atividade, sua principal fonte de renda.

Portanto, quando se fala de Soluções de Engenharia ou de Arquitetura, refere-se às atividade de projeto, consultoria, assessoria técnica e outras atividades que envolvem processamento de informações e a consequente produção de “Informação Organizada”, sob a forma de desenhos, relatórios, memórias de cálculo, gráficos, tabelas, laudos, pareceres e outras formas de solução.

Soluções em Engenharia e Arquitetura em BH. Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

 

Soluções de Engenharia e de Arquitetura – Produto de Consumo Restrito

As Soluções de Engenharia ou de Arquitetura não são comprados ou consumidos por muitas pessoas, muitas vezes na vida. Portanto, nossos produtos não são Produtos de Consumo de Massa. Isso nos tira um conjunto muito grande de ferramentas e recursos de Marketing tradicional (quase todo voltado para produtos de consumo de massa).

Um exemplo prático: em uma loja de roupas, um cliente, por uma razão ou outra, deixa de comprar na “loja A” e compra na “loja B”. A chance do cliente se arrepender de ter comprado na “loja A” é real. Caso isso aconteça, ele provavelmente irá considerar com mais carinho a possibilidade de fazer negócio com a “loja B”. O mesmo ocorre se você tem uma oficina mecânica ou uma lavanderia. Já no caso de arquitetos e engenheiros, se o cliente preferiu contratar o concorrente, independente de gostar ou não do serviço prestado, é provável que o mesmo não irá contratar outra empresa do ramo. Por isso o ideal é que o cliente faça uma pesquisa para identificar empresas que tenham serviços prestados e que seja reconhecidamente competente no que faz, para que não corra o risco de ficar insatisfeito com os serviços contratados. A W Lopes Engenharia está há mais de 25 anos no mercado e ao longo desses anos vem fidelizando seus clientes devido ao fato de sempre se preocupar em atender satisfatoriamente os nossos clientes.

Soluções de Engenharia e de Arquitetura – Produto com Alto Componente Intelectual Agregado

Os serviços de Solução de Engenharia ou de Arquitetura são, em última análise, INFORMAÇÃO. Obter, processar e produzir informações depende de um treinamento intelectual que é obtido através de muitos anos de estudos profundos. A maioria das pessoas (cerca de 99,5%) não faz a menor ideia de como funciona a cabeça de um engenheiro ou de um arquiteto.

Soluções de Engenharia e de Arquitetura – Produto Intermediário

Os serviços de Solução de Engenharia e Arquitetura não são os produtos finais. Ninguém compra um projeto de Engenharia ou de Arquitetura para colocar numa moldura e pendurar numa parede. Ninguém contrata serviços de Engenharia ou de Arquitetura para se divertir, ou para obter qualquer forma de satisfação imediata. O serviços de Engenharia ou Arquitetura é sempre incorporado a um processo em andamento, que vai resultas no produto final, que será outra coisa.

Para que se tenha clareza no Serviço de Solução de Engenharia e Arquitetura, o mesmo pode ser considerado como uma matéria prima. Matéria prima que pode ser considerada como um material de construção, com os mesmos efeitos e utilidades do: cimento, areia, ferro, vidros, tijolos, azulejos, tinta, tubos, fios, etc… Porém, também é necessário saber que é uma matéria prima que produz resultados mais evidentes e importantes do que muitos outros materiais de construção utilizados.

Soluções em Engenharia e Arquitetura em BH. Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Exemplo prático

Tomemos uma pessoa que disponha de R$100.000,00, para construir uma residência. Ela tem dois caminhos a seguir: o caminho “A” e o caminho “B”.

Começamos pelo caminho “B” que, por ser o mais torto e o mais incorreto, é também o mais popular.

Essa pessoa faz, ela mesma, um desenho da planta da casa. Ou, então, pede para alguém fazer para ela. Geralmente um desenhista que fez um cursinho básico, ou nem isso. Com o tal desenho, procura-se um acobertador (nome dado ao profissional de engenharia para tornar legal um trabalho feito por terceiros, também chamado de “assinador de planta” ou simplesmente “canetinha”. Com esse caminho tem-se um “investimento” de, digamos, R$1.000,00 em “engenharia” e “arquitetura”.

A planta, devidamente assinada por esse profissional ordinário, é aprovada pela prefeitura. Inicia-se a obra, que vai ser feita exatamente de acordo com a vontade do proprietário e os conhecimentos do pedreito.

Essa maneira de gastar o dinheiro resulta em uma obra com, digamos 90 ou 100m², três quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviços, garagem, que custa R$100.000,00.

E vale, se for posta à venda, R$100.000,00.

Vamos ver então o caminho “A”, que começa pela contratação de um arquiteto, que irá fazer um projeto ajustado à realidade do cliente, otimizando espaços, garantindo uma boa ventilação, observando a posição do sol, explorando recursos estéticos como janelas, telhados, varandas, e passa pela contratação de um engenheiro, que fará os projetos complementares (estrutural, hidro-sanitário, elétrico). Fará o dimensionamento correto dos materiais a serem utilizados, além de organizar a obra, promovendo racionalização e economia. Muita economia.

O custo de um arquiteto + um engenheiro é, digamos R$10.000,00

Com os R$90.000,00 restantes, por este caminho “A”, teremos, como resultado, uma obra que custará os mesmos R$100.000,00. Porém, essa casa, com os recursos da arquitetura e da engenharia, terá os 90 ou 100m² muito melhor aproveitados, do que os da casa do “plano B”. Talvez até uns 110m². E, além dos três quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço e garagem, poderá ter, por exemplo, uma vaga a mais na garagem, uma churrasqueira, uma varanda, um telhado mais bonito… Essa obra vale – aí é que vem a surpresa -, pelo menos uns R$120.000,00.

Exagero? Não! Os números estão corretos. E as provas estão por aí nos bairros, nos loteamentos e nas planilhas de custos…

É verdade: com engenharia e arquitetura a sua obra custa menos e vale mais!

Por que, então, se é tão simples assim, a maioria das pessoas faz a coisa do jeito errado? Por que as pessoas preferem a equação desenhista + pedreiro = obra + cara e sem valor agregado e não a equação engenharia + arquitetura = obra mais barata e mais valiosa?

Por duas razões:
Primeira – Nem tudo o que é óbvio é ululante! A maneira certa quase sempre é a maneira mais difícil.

Segunda – Os serviços de engenharia e de arquitetura encabeçam a lista dos produtos mais mal vendidos do Brasil.

Soluções em Engenharia e Arquitetura em BH. Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Produtos com Vantagens e Benefícios não-evidentes ao Cliente

O trabalho do engenheiro e do arquiteto é realizado no momento em que ele, baseado nas informações de que dispõe e nos seus conhecimentos, toma decisões sobre o que deve ser feito e como deve ser feito. Então pode-se dizer que o resultado do serviço do engenheiro ou do arquiteto não aparece quando o serviço é realizado. Só aparece muito tempo depois e, frequentemente, passa desapercebido, por está misturado com a influência de dezenas de outros fatores envolvidos no produto final.

Por conta do alto componente intelectual envolvido / agregado nos serviços de Engenharia e Arquitetura muitos profissionais não se dão conta de que coisas que parecem óbvias, na verdade não são tão óbvias assim. No final de uma obra (na hora em que se chega ao produto final) muitos clientes acabam atribuindo aos pedreiros, carpinteiros, azulejistas ou pintores, méritos que deveriam ser creditados ao arquiteto ou ao engenheiro.

Por vezes não fica claro para os clientes que a aplicação de conhecimentos de arquitetura fazem toda diferença em termos de: iluminação natural, conforto térmico, isolamento acústico, etc. Da mesma forma, conhecimentos de engenharia garantem: funcionabilidade, manutenção, durabilidade, racionalidade e redução dos custos na produção.

Soluções em Engenharia e Arquitetura em BH. Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Ficou com alguma duvida? Para mais informações nos consulte:

Escritório de Engenharia em BH

Apreciar a arquitetura e a tecnologia de construção é um hábito de muitas pessoas. Alguns chegam a levar esse entusiasmo a outro nível e preferem trabalhar nessa área.

É o caso dos engenheiros civis, profissionais que constroem monumentos, edifícios, casas, etc.

Você ira entender o que faz um Engenharia Civil em BH e também como se preparar pra atuar na área. Continue por aqui e descubra mais sobre a profissão!

Como funciona um escritório de Engenharia Civil em BH?

Ao pensar num escritório de Engenharia Civil em bh, é comum logo o associar à arquitetura. Realmente, os dois são superimportantes pra ter um projeto bem-sucedido na construção, mas o trabalho deles é bem diferente.

Enquanto o arquiteto desenha o projeto, cuida de toda a questão do paisagismo, urbanismo e design, o engenheiro civil é o profissional que não só faz os cálculos relativos à execução do projeto, mas também o tira do papel.

Quando a gente fala de trabalhar num escritório de Engenharia Civil, não deve limitar a atuação apenas à construção. Existem muitas outras tarefas a serem desenvolvidas nesse ambiente, entre as quais temos:

  • estudos de viabilidade, que avaliam se um determinado empreendimento vale a pena;
  • elaboração de projetos, pareceres, laudos, documentos técnicos e outros;
  • documentação processual que vai do despacho ao memorando;
  • processos licitatórios.

Essas tarefas são aplicadas desde o levantamento de uma residência até a pavimentação de vias e concepção de pontes. Logo, o engenheiro é fundamental em todos os processos que envolvem a construção.

As partes técnicas, assinatura de laudos e validação de construção ficam sob responsabilidade de um profissional já graduado. Por sua vez, a rotina de um estagiário é voltada pra ajudar na criação de projetos, elaboração de plantas, acompanhamento das obras junto dos profissionais e confecção de relatórios.

Como montar um escritório?

Como a gente viu, o trabalho de um profissional da área envolve várias funções, ainda mais em um escritório de Engenharia Civil.

Esse é seu objetivo também? Então, vem com a gente entender tudo sobre Engenharia Civil em BH e como montar seu escritório!

Viabilidade da ideia

A primeira coisa é considerar a ideia de ter um escritório. O que isso significa? Além da função de engenheiro, você vai ter que trabalhar também a parte administrativa. Mesmo que existam pessoas pra cuidar disso, o dono deve saber gerenciar o negócio.

Ter um plano estratégico é fundamental para o sucesso do escritório. Da motivação, passando pela atividade, público-alvo, concorrência até o dinheiro disponível para o investimento inicial, tudo deve ser detalhado no plano.

Sobre a questão do dinheiro, vale a pena começar com cuidado, contar com o auxílio de um contador. No início, pode ser que os projetos demorem mais a vir. Por conta disso, ter um fluxo de caixa é fundamental pra manter as operações.

Aspectos técnicos

Depois de testar que os recursos financeiros e a própria ideia do escritório estão compatíveis com a realidade, é hora de se preocupar com as questões mais técnicas. E o que isso significa? Olhar pra todos os itens necessários pra montar a estrutura física.

Local, móveis, certificados, regime tributário, materiais, profissionais… São muito itens a serem checados. Nesse cenário, é interessante fazer uma lista do que vai ser essencial num primeiro momento. Aqui também entra a formalização do escritório que envolve algumas burocracias. É necessário checar na Prefeitura e em órgãos competentes quais os procedimentos pra obter a autorização para o funcionamento.

Time de profissionais

qualificação da equipe de profissionais que vai atuar no escritório de Engenharia Civil também conta muito no processo de abertura. Mais do que técnica, os profissionais precisam ser proativos e comprometidos com o sucesso da empresa.

Num primeiro momento, os desafios serão maiores, justamente pela empresa estar no início. Então, quanto mais alinhada a equipe estiver, melhores os resultados de negócio.

Diferenciais

Com tantos escritórios no mercado, é preciso encontrar diferenciais pra poder se destacar. É isso que vai te manter em evidência perante a concorrência. Sendo assim, antes dessa definição, faça uma pesquisa pra entender o que o mercado exige e como atender essa demanda de maneira eficaz.

A partir disso, trabalhe em cima do que vai ser oferecido pelo escritório. Qualidade do atendimento, projetos exclusivos, experiências dos profissionais: tudo isso faz diferença na hora que um cliente escolher o seu serviço.

Como se preparar pra atuar?

Seja qual for a sua função, se dono ou funcionário do escritório de Engenharia Civil em BH, é necessário estar preparado pra atuar profissionalmente. A primeira coisa é buscar uma graduação de qualidade, que tenha alinhada teoria e prática, ofereça todo o suporte pra sua formação.

Oferecido nas modalidades de ensino presencial e semipresencial, o curso de Engenharia Civil em BH te capacita pra projetar, construir e realizar a manutenção nos diferentes tipos de estruturas prediais. Tudo isso por meio de uma metodologia moderna e antenada à inteligência na hora de conceber espaços confortáveis.

Além de um curso de qualidade, você precisa ter um perfil lógico e analítico, porque vai ter várias matérias ligadas à área da Matemática e da Física. Também deve desenvolver habilidades pra lidar com as pessoas, já que é uma das suas principais tarefas, principalmente em obras. Todos precisam cumprir prazos e manter um padrão alto de qualidade do trabalho, né?

De maneira geral, o mercado da construção civil está ligado à economia do país. Por isso, quanto maior o poder aquisitivo da população, melhor para o setor. O salário em Engenharia Civil em BH gira em torno de R$ 7.529,14, pra uma jornada de trabalho semanal de 41 horas.

Esta com duvidas? Entre em contato com a gente:

  • Telefone: (31) 3335-7773
  • WhastApp: (31) 9 8311-7336
  • E-mail: CONTATO@WLOPESENGENHARIA.COM

Via: Pitágoras e Blog Engenharia

Contratação de Obras e Projetos em Contagem

Contratação de Obras ou Projetos em Contagem. Existem diferentes formas de contratar serviços de engenharia. As diferentes formas de contrato possuem vantagens e desvantagens, e elas serão escolhidas de acordo com o cenário encontrado, por exemplo: se há projeto executivo; se há memorial descritivo com especificação adequada de materiais; as possíveis condições de pagamento, se cliente irá se responsabilizar pelo fornecimento dos materiais, dentre outras.

 

Contratação de Obras ou Projetos em Contagem? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Contrato por empreitada global:

O contratado (empreiteiro, construtor) se responsabiliza por executar uma obra fornecendo mão de obra e materiais. Seu preço é global (podendo ou não haver reajustes de preços). Se o trabalho puder na prática ser realizado com economia de mão de obra ou material, essa vantagem fica com o empreiteiro. Se a obra resultar mais difícil, ou mais cara, isto também é de reponsabilidade do empreiteiro, que não repassa os acréscimos de preço ao dono da obra.

Contrato por empreitada de mão de obra:

O contratado (empreiteiro construtor) responsabiliza-se globalmente pelo fornecimento de toda mão de obra. O dono da obra fornece, sob sua responsabilidade, o material. Se a obra exigir mais mão de obra do que o previsto pelo empreiteiro, este fornecerá, sem ônus, esse adicional. Se o trabalho puder ser feito com menos mão de obra, a vantagem fica com o empreiteiro.

Contrato por administração:

O contrato apenas administra o custo da obra (materiais + mão de obra) sem no entretanto se responsabilizar pelos valores resultantes. A obra dará o que der. Conforme foi gastando, o dono da obra vai pagando o custo dos materiais e a folha de salários. A remuneração do contrato (engenheiro, arquiteto, construtor) ou é por hora dispendida ou é por porcentagem sobre o valor da obra.

Na engenharia de projeto há uma forma toda específica de serviço que é chamada de “cost plus fee” que não deixa de ser um tipo de contrato de administração. Nesse contrato o cliente paga as horas gastas pelo pessoal técnico (engenheiro, projetista, desenhista, etc.).

Para saber o preço de venda da hora de cada profissional, é usado a fórmula:

Preço de venda de 1 homem x hora = (Salário x 12 x k1 x k2) / 2.000

Onde:

Salário = é o salário mensal de carteira de cada profissional

12 = número de meses do ano

K1 = coeficiente de leis sociais (~1,5)

K2 = despesas de administração e lucro (~1,9)

2.000 = número de horas trabalháveis por ano (variável de firma para firma)

Contrato por preços unitários:

Usa-se esse tipo de contrato quando conhecem os tipos de trabalho a executar, mas não se tem certeza da quantidade de cada trabalho. Assim o contrato fixa a remuneração (preço unitário) de cada trabalho. Para se obter o que pagar, multiplica-se o preço unitário pela medição do trabalho efetivamente feito.

 

Contratação de Obras ou Projetos em Contagem? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Ficou com alguma duvida? Para mais informações nos consulte:

Construtora para execução de Casas Residenciais

Procurando uma Construtora para execução de Casas Residenciais ? Isto envolve projetos complexos, envolvendo várias atividades inter-relacionadas e interdependentes que devem ser realizadas ao longo da obra. Mas aqui na W Lopes com quase 30 anos no mercado, sempre trazendo segurança e conforto para nossos clientes.

Ao trabalhar de forma gradativa, a construção civil necessita utilizar diversos recursos, como mão de obra, materiais e equipamentos, e, se utilizada de forma adequada, pode garantir a qualidade do processo e, o mais importante, pode atualizar as unidades residenciais.

O desafio é chegar a um plano completo: estimar custos, gerenciar riscos e concluí-los no prazo para garantir uma qualidade realista. Produtos imobiliários e satisfação do cliente.

Diante do conjunto de desafios, é fundamental também que a incorporadora foque seus esforços na execução de um planejamento de obra detalhado para Construção de Casas Residenciais, com a descrição das ações de cada etapa da obra. Além de planejar, promover o engajamento da equipe, na Construção Civil passo a passo, também deve ser prioridade dos gestores. Quando a equipe acredita no projeto do empreendimento, o trabalho flui melhor e as entregas tendem a ser feitas, cada vez mais, com uma qualidade superior.

Na Construção Civil passo a passo, o planejamento e o gerenciamento devem ser conduzidos sempre pelos gestores em parceria com os profissionais envolvidos. No planejamento, com a definição de objetivos e metas é possível projetar o futuro, ou seja, a conclusão do empreendimento. Já o gerenciamento é a concretização dos objetivos e das metas, ou seja, é a rotina, o presente, gerenciado na construtora. Conheça a seguir as etapas da Construção Civil passo a passo que devem ser executadas pela sua equipe.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Planejamento

A Construção Civil passo a passo envolve várias etapas que pautam o trabalho da equipe envolvida e garantem a previsão e execução de todas as ações e tarefas necessárias para a entrega da obra. Uma das fases prioritárias, que visa garantir a melhor qualidade e o menor custo, é o planejamento. Na Construção Civil passo a passo, o planejamento ganha destaque porque permite à construtora gerenciar cada obra, desde a elaboração dos primeiros projetos, passando por uma execução tranquila e segura, e, ao fim, garantindo lucros para o negócio e satisfação para o cliente.

O planejamento, na Construção Civil para  Casas Residenciais em, passo a passo, exige a organização para a execução, incluindo a elaboração do orçamento e a programação da obra. Quando a construtora investe em planejamento, além de evitar problemas relacionados às questões de recursos – tempo e dinheiro –, sua equipe consegue prever possíveis imprevistos, antevendo soluções ou desenhando os planos B e C. Dessa forma, problemas surgidos no decorrer do desenvolvimento da obra podem ser solucionados em tempo, de modo que o cronograma seja mantido. Só com planejamento, na Construção Civil passo a passo  é possível agir rápido para que todos os prazos pré-estabelecidos sejam cumpridos tal como acordado inicialmente, atendendo à demanda, e, principalmente, à expectativa dos clientes.

Pode-se destacar três tipos básicos de planejamento, elencados a seguir: curto, médio e longo prazo.

  •  Longo prazo: fornece uma visão macro e permite visualizar as principais necessidades da obra. Ao aplicar este método, torna-se possível evitar alguns contratempos na execução como também se precaver de problemas financeiros. Uma das vantagens é a possibilidade de observar melhor o custo global da obra.
  •   Médio prazo: este não permite prever possíveis problemas. Na Construção Civil passo a passo, é mais usado para readequar as diretrizes do planejamento de longo prazo sempre que necessário.
  •    Curto prazo: aqui praticamente não se trata de futuro.  Quando a obra já está em andamento, novos planos – mais simples –, precisam ser feitos. É preciso, por exemplo, fazer esquematizações das atividades mensais, semanais ou até mesmo diárias, para garantir o controle direto do andamento da obra.

A Construção Civil de Casas Residenciais envolve diferentes variáveis e se desenvolve em um cenário muito dinâmico. Por isso, o planejamento da obra é tão importante. Quando a equipe faz um planejamento adequado ele contém vários dos principais aspectos de gestão da obra, tais como orçamento, compras, gestão de pessoas, comunicação, gestão de riscos etc. Na Construção Civil passo a passo, cada aspecto do planejamento integra um conjunto de ações e estratégias indispensáveis para a execução da obra e o sucesso da construtora.

Qualquer erro no planejamento pode levar à consequências sérias para o sucesso do empreendimento e, claro, para a construtora. Da mesma forma, na execução, um descuido em uma tarefa pode comprometer todo o fluxo, implicando, por exemplo, em atrasos e desperdícios Na Construção de Casas Residenciais, planejamento de obra é sinônimo de sucesso para a construtora e satisfação garantida para clientes investidores.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Viabilidade econômica

Um dos itens centrais do planejamento, sem dúvida, é o estudo de viabilidade econômica do empreendimento. Antes de começar, é preciso saber, ao certo, qual o montante exato será investido, bem como identificar as variáveis que podem influenciar a viabilidade em estudo.

Na Construção Civil de Casas Residenciais, a elaboração de um estudo abrangente e realista é muito importante porque, afinal, é reveladora. É o estudo de viabilidade econômica que permite a equipe de gestores detectar os projetos rentáveis para, somente depois, dar o aval para o início das obras. Depois de classificar os projetos rentáveis e os não rentáveis, a equipe da construtora pode focar no planejamento definitivo e, depois, na edificação da construção. Para a Construção Civil  passo a passo, a lógica é simples: o estudo de viabilidade econômica indica que só merece investimento o empreendimento que irá trazer retorno.

Orçamento de obra

Um dos aspectos mais importantes do projeto do empreendimento é o orçamento de obra. Mais do que necessário, o orçamento é uma ferramenta valiosa porque contribui para a compreensão das questões econômicas e pauta a programação e o cronograma das atividades.

Para que o orçamento seja viável do ponto de vista técnico e, sobretudo, coerente com a realidade da construtora e o valor do investimento, é importante que o orçamentista conheça e domine alguns aspectos como, por exemplo, o consumo de materiais em cada serviço, a quantidade de mão de obra, as leis trabalhistas sobre o custo da mão de obra, o tempo de uso dos equipamentos, os custos financeiros decorrentes, os custos administrativos (indiretos), a carga tributária que irá pesar sobre os serviços.

Além disso, na Construção Civil de Casas Residenciais, o orçamento requer conhecimento da realidade do mercado, das variáveis regionais e locais, dos métodos construtivos, dos tipos de gerenciamento da obra, considerando também a possibilidade de ocorrência de fenômenos climáticos que venham a interferir nos custos da obra, entre outros aspectos.

Planilha de orçamento de obra

É o documento no qual são registradas todas as operações de cálculos e discriminados todos os serviços que serão executados da obra. Na Construção Civil de Casas Residenciais, as planilhas são usadas para o registro das quantidades de cada serviço e seus custos/preços. Os modelos mais detalhados de planilhas de orçamento de obra separam os custos/preços da mão de obra, dos materiais e equipamentos. Uma planilha deve ter as seguintes informações:

  • Na abertura: logotipo da construtora; identificação da obra; área construída; local; e cliente.
  • No encerramento: custo ou preço final; data; assinatura do autor do orçamento; nome do responsável técnico (autor); número do CREA/UF.

A elaboração de qualquer orçamento exige o conhecimento de Especificações Técnicas, ou seja, informações relativas ao empreendimento do projeto. Assim, na Construção Civil passo a passo é possível fazer com que a previsão de custos seja coerente com a realidade. As especificações técnicas são formadas pelos seguintes elementos: projeto arquitetônico; projetos complementares: estrutural; elétrico; hidrossanitário; telefônico; prevenção contra incêndios; infraestrutura; e, por fim, memorial descritivo.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Elaboração de Projetos

A construção do projeto do empreendimento é importantíssima, mas tão importante quanto, senão mais, é a elaboração dos projetos complementares que o compõem. É impossível, por exemplo, seguir adiante com a obra sem ter em mãos o projeto estrutural. Da mesma forma, na Construção Civil de Casas Residenciais, seria muito difícil pensar em alternativas de aproveitamento de água sem ter o projeto hidrossanitário completo. A verdade é que todos os projetos se completam, formando um só e norteando toda a equipe envolvida, desde o gerente de projeto e o engenheiro de custos até o gerente de relacionamento e a equipe de assistência técnica.

Projeto arquitetônico

Este projeto é a materialização da ideia, do espaço imaginado. É a representação do conceito do projeto. A partir dele é possível estudar a melhor maneira de atender às necessidades dos usuários e a melhor forma de resolver todos os problemas envolvidos nesse processo. O projeto arquitetônico, na Construção Civil passo a passo, é feito, basicamente, em cinco etapas:

  • Levantamento de dados: são avaliadas as principais características do terreno e entorno, enquanto o cliente indica seus objetivos e necessidades.
  • Estudo preliminar: é possível fazer um estudo dos dados levantados e, com base neles, desenhar um esboço inicial do projeto, dando início a elaboração da planta com o aval do cliente.
  • Anteprojetoé hora de definir as dimensões e características da obra, com a criação do projeto contendo a planta-baixa de cada pavimento e as informações de cada ambiente, pilares, cálculo das áreas, entre outras especificações. Na Construção Civil passo a passo é preciso definir volumetria, estrutura, planta de cobertura e instalações gerais.
  • Projeto legal: este deve ser configurado de acordo com as normas indicadas pelos órgãos competentes para, na sequência, ser aprovado pela prefeitura municipal da cidade.
  • Projeto executivo: este é o desenvolvimento detalhado do anteprojeto, com a inclusão dos projetos complementares (elétrico, hidráulico, estrutural, telefônico etc) e demais dados necessários para a execução correta da obra, conforme o detalhamento do projeto.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

 Projeto Estrutural

É este projeto que determina os elementos estruturais (fundação, pilares, vigas ou alvenaria estrutural e lajes) que alicerçam e sustentam a edificação, transmitindo suas cargas acidentais e permanentes ao solo. Com a análise do projeto arquitetônico e o estudo das características do solo é possível definir o tipo de sistema estrutural mais adequado para a obra, pensando em atender às necessidades e expectativas do cliente.

Na Construção Civil passo a passo, para a elaboração de um projeto estrutural,  cinco etapas devem cumpridas:

  • Visita ao local da obra para análise das características do terreno e vizinhança;

  •  Escolha do sistema estrutural;

  •  Definição das posições e dimensionamento dos elementos estruturais;

  •  Cálculo da estrutura;

  •  Elaboração do projeto com o detalhamento dos elementos estruturais.

Pode-se dizer que o projeto estrutural é formado pelo tripé segurança, economia e durabilidade, tendo como base o conceito de sustentabilidade. Quando um destes aspectos não é contemplado, o projeto estrutural perde sua característica principal e o seu objetivo.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Projeto Hidráulico

Este projeto indica a posição e o diâmetro das tubulações, caixas de inspeção, e demais componentes do sistema hidraúlico, seguindo as normas aplicáveis. Aliado ao uso de bons materiais e à aplicação correta deste na Construção Civil de Casas Residenciais, o projeto hidráulico permite a economia de tempo e dinheiro, evita erros de montagem e, sobretudo, garante o funcionamento dos sistemas por mais tempo. Na Construção Civil passo a passo, o projeto hidráulico deve conter o detalhamento dos sistemas referentes às redes de água fria, água quente, esgoto, águas pluviais e reutilização da água.

Projeto Elétrico

A descrição detalhada da instalação elétrica constitui esse projeto que deve suprir a necessidade do cliente em cumprimento às normas vigentes. O projeto deve indicar a localização dos pontos de utilização da energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores e eletrodutos, divisão dos circuitos, dimensionamento das seções dos condutores, dispositivos de manobra, cálculos da carga de cada circuito e carga total, alimentador geral e sua proteção.

O projeto elétrico, essencial na Construção Civil passo a passo, fornece à construtora mais segurança na execução da obra, bem como orienta esta para que cumpra os requisitos de uma instalação elétrica confiável. Além de aumentar a segurança, é possível reduzir os riscos de acidentes com eletricidade e danos a equipamentos. Com a análise prévia e o projeto, na Construção Civil de Casas Residenciais a construtora garante um resultado melhor com um consumo menor, oferecendo conforto e tranquilidade.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Execução da obra em 10 etapas

A execução da obra exige a dedicação e a entrega da equipe da construtora e também das empresas terceirizadas. Para que todas as etapas sejam cumpridas e o empreendimento seja concluído com qualidade e dentro do prazo definido é necessário planejamento, mas, principalmente, foco e atenção dos profissionais envolvidos. É preciso ter uma equipe pronta para atender às diferentes demandas considerando sempre as particularidades de cada etapa.

Conheça as 10 etapas da execução de obras, entenda o quanto cada uma exige de recursos e o avanço que representam na construção do empreendimento.

 1. Serviços Preliminares

Com os projetos desenvolvidos e aprovados, o orçamento definido, o cronograma físico e financeiro elaborado e a relação de equipamentos e as instalações necessárias é possível começar os trabalhos em uma sequência racional das atividades. É hora de fazer a sondagem, a construção do depósito e do tapume, as instalações provisórias de água e energia, bem como providenciar um vestiário, um local de alimentação para os operários, e uma sala para o engenheiro ou mestre de obras fazer a leitura e interpretação dos projetos.

2. Infraestrutura (fundação e laje)

As fundações são definidas na fase de estudos, com o projeto e o cálculo estrutural desenvolvido após a análise geológica do terreno. Nesta fase, são usados elementos como aço (vergalhões), brita, areia e cimento, e madeiramento para as formas. Por isso sua a execução será mais favorável nos períodos de menor chuva. Aqui devem ser construídas as vigas, colunas, lajes e escadas.

3. Supraestrutura (vedação)

Esta fase é dedicada ao desenvolvimento de diversas peças como: os pilares, as vigas, as vergas e contravergas, paredes, lajes, torre de caixa d’água. O concreto deve ser levado ao local, obedecendo a critérios e tratamentos quanto à sua dosagem, ao seu preparo e à aplicação específica para cada peça estrutural.

4. Cobertura

A cobertura deve ser pensada para proteger a obra contra chuva, calor ou ruído. Existe uma grande variedade de telhas no mercado que amplia o leque de possibilidades de aplicação. O seu projeto irá definir o emprego correto dos materiais, calhas e demais acessórios. É possível usar: forro (pré-moldado, madeira, PVC ou gesso); oitão; telhado (pré-moldado, madeira, PVC); e telha (cerâmica, concreto).

5. Esquadrias (madeira, alumínio ou PVC)

Qualquer projeto deve ser planejado para priorizar um ambiente arejado e com iluminação natural. O mercado oferece uma série de modelos de portas e janelas fabricadas com diferentes materiais. São usadas guarnições, batentes, folhas e vistas de vidro.

6. Acabamentos/Revestimentos

O nível de acabamento do empreendimento depende muito do padrão da obra e do orçamento disponível. Com base nisso, é possível escolher o tipo do piso, do azulejo, da soleira e dos rodapés. Mas, antes mesmo de escolher o revestimento, vale fazer o básico: chapisco, emboço, reboco e contrapiso.

7. Instalações Hidrossanitárias

A instalação de rede de água fria ou quente e de esgoto – seja primário, seja secundário – é regida por legislação específica, que visa proteger o meio ambiente. Depois do projeto ser aprovado pela concessionária, é hora de providenciar canos, tubos, registros, válvulas, ferragens, metais e caixas d’água, de gordura, sifonada e de inspeção, tanque séptico, filtro anaeróbico e, na sequência, fazer as instalações. Seguindo a Construção Civil passo a passo, lembre-se da aquisição e instalação dos itens de acabamento como, por exemplo, louças, bancadas e outros acessórios.

8. Instalações Elétricas/Telefonia

No momento da construção do projeto elétrico você deve informar a carga (quantidade de lâmpadas, tomadas, equipamentos) para definir a categoria e aprová-la junto à concessionária de energia. É preciso informar também se a construção terá rede de telefonia interna, computadores, alarmes, sensores de presença, refletores, bombas de piscina ou reservatórios, interfones. Feito isso, na Construção Civil passo a passo é preciso incorporar o que estava previsto no projeto à obra garantindo conforto e segurança aos futuros moradores. Busque manter uma equipe experiente e apta para fazer as instalações elétricas, com o uso de tubulações, caixas, fios, tomadas e disjuntores.

9. Pintura Interna e Externa

Esta fase permite à equipe da construtora usar a criatividade, afinal, hoje é possível “fazer” a própria cor de tinta e aplicá-la na pintura interna e externa. Cabe à equipe da construtora definir e escolher o melhor acabamento e o padrão a serem aplicados. Para um acabamento de qualidade diferentes produtos devem ser aplicados: selador, massa corrida, lixa, tinta e solvente.

 10. Serviços Complementares

Dependendo do tamanho do empreendimento, a última etapa é voltada para a construção das áreas comuns de lazer: piscina, sauna, churrasqueira, quadras esportivas, entre outros espaços, bem como para o paisagismo e a jardinagem. Comumente, na Construção Civil passo a passo, estes são serviços executados na parte externa da obra por equipes terceirizadas e especializadas, visando à finalização do projeto. A última atividade da Construção Civil passo a passo, antes da conclusão, é a limpeza final de todos os espaços comuns e de cada unidade habitacional. Tudo deve ser entregue limpo e com perfeito acabamento!

Entrega das chaves

A entrega das chaves sempre gera uma grande expectativa no cliente. É um momento especial para quem teve a chance de realizar o sonho da casa própria ou, mesmo, fazer mais um investimento em imóvel. Trata-se de um patrimônio e, por isso, a entrega das chaves é quase uma celebração. Na Construção Civil passo a passo, as incorporadoras e construtoras também vibram com a entrega das chaves, afinal, é sinal de que todas as etapas foram cumpridas à risca e o produto imobiliário finalmente está pronto. A última tarefa do cronograma de execução da obra é também uma das mais importantes e significativas.

Antes da entrega é importante checar com os demais setores envolvidos – financeiro, administrativo, de engenharia e de atendimento ao cliente -, se não há nenhuma pendência registrada. Se estiver tudo certo, basta a incorporadora convocar os seus clientes, via email ou telefone, para fazer a vistoria do imóvel. Ao fim da vistoria, o Termo de Entrega das Chaves, também chamado de Termo de Posse, deve ser entregue formalizando a transferência de propriedade e fechando o ciclo da Construção Civil passo a passo.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Pós-venda e assistência técnica

A impressão do cliente quanto à experiência e à qualidade do produto imobiliário que a construtora oferece, na perspectiva mais otimista, pode se confirmar no pós-venda. Antes, o consumidor vivia a expectativa pela entrega das chaves. Agora, morando e usando o imóvel surgem as demandas de assistência técnica e o desafio é saná-las o mais rápido possível. Daí deriva a importância de oferecer um bom atendimento no pós-venda e ter uma equipe de relacionamento capacitada, para atender e gerenciar as diferentes demandas. O principal objetivo é garantir a satisfação e gerar novas oportunidades de negócio.

Além de ser uma alavanca para novas vendas, a equipe de pós-venda e de assistência técnica devem trabalhar em conjunto para garantir o cumprimento da Norma de Desempenho (ABNT NBR 15575) que prevê um relacionamento de cinco anos com o comprador, de forma que a construtora preste atendimento ao proprietário do imóvel ao longo deste período, caso surjam problemas decorrentes da execução da obra.

Um caminho possível é estruturar uma área de engenharia de qualidade, responsável pelo atendimento desde a pré-venda, passando por geração de contratos e documentos de emissão, até o pós-venda, incluindo o atendimento técnico em caso de reformas no empreendimento.

As redes sociais são ferramentas que também podem ser usadas pelas construtoras para estabelecer um diálogo fácil e rápido com os proprietários, em caso de solicitações de assessoria técnica ou dúvidas quanto à reforma.

É esse conjunto de ações e estratégias que permite à construtora fazer a manutenção do cliente e da satisfação dele após a entrega do produto imóvel, fomentando um ciclo virtuoso de vendas.

 Integração das etapas da obra com BIM

Na Construção Civil passo a passo, a gestão completa da obra requer total atenção a várias etapas e processos, incluindo uma variedade extensa de materiais, serviços e ações necessárias para que a execução seja concluída com sucesso. Como o desafio de gestão é complexo, o ideal é ter os documentos e as principais informações da obra acessíveis e integradas em uma única plataforma. O Building Information Modeling (BIM), em português, Modelagem da Informação da Construção é o novo conceito que trata de projetos para construções e permite essa integração.

Dentre outros benefícios, o BIM pode proporcionar à construtora:

  • Cumprimento das datas estipuladas no cronograma de obra;

  • Testes prévios de soluções;

  • Fácil compreensão, revisão e visualização do andamento do projeto, garantindo mais precisão e a avaliação de alternativas para otimizar recursos e processos;

  • Comunicação mais eficiente entre os participantes do projeto e fluência no compartilhamento de informações da construção.

É claro que para proporcionar tantos resultados positivos é preciso que a equipe da construtora saiba fazer o uso da ferramenta. Por isso a colaboração dos participantes e o compartilhamento dos dados é fundamental. Segundo um estudo norte americano, a falta de interoperabilidade nas obras chega a gerar às construtoras um custo adicional de 15,8 bilhões de dólares a cada ano. O BIM se apresenta como uma alternativa justamente por proporcionar a interoperabilidade e o intercâmbio de informações, e também a atualização do projeto, com a inclusão das alterações, em tempo real.

No planejamento e acompanhamento da obra, os diferentes níveis do BIM – básico, intermediário e avançado – são representados pelos LODS (Level Of Development). Na Construção Civil passo a passo, cada LOD representa uma etapa do empreendimento. Por exemplo, uma construtora que capta um novo projeto vai fazer seu planejamento, o estudo preliminar, anteprojeto, até o projeto executivo e, claro, vai passar por todos os níveis de LOD: 100, 200, 300, 400 e 500 até a sua efetiva construção, a sua medição e operação.

Os LODS são construídos a partir do momento que cada etapa é concluída na prática. O LOD 100, por exemplo, tem como foco um estudo preliminar, que envolve elementos mais genéricos tais como conceitos de área, conceitos de espaço, volume, circulação, fluxos, a parte de volumetria, equiparando-se a um estudo preliminar.

Conforme a obra avança e a equipe evolui no projeto, no BIM as etapas mudam e os LODs também. Se um estudo preliminar foi concluído, a construtora fechou um LOD 100, agora num outro nível, LOD 200, a equipe elabora um anteprojeto. Conforme avançam as etapas da Construção Civil de Casas Residenciais, o nível de maturidade do modelo também deve aumentar, de modo que o BIM terá mais informação e cada informação deve ser inserida na etapa correspondente, para que o projeto como um todo faça sentido.

A Construção Civil passo a passo e a evolução do projeto e do BIM é gradativa, por isso, é preciso seguir a ordem correta: do estudo preliminar até as informações do projeto em execução. Com o BIM, a integração das informações de cada etapa da obra confere mais consistência aos dados e, sobretudo, proporciona uma gestão de obra pautada por dados reais. É a realidade do trabalho no escritório e no canteiro de obras acessível no sistema. Uma ferramenta indispensável para os gestores que pode garantir resultados mais positivos.

Para ajudar a construtora a fazer uma gestão focada em resultados e excelência, o acompanhamento das ações de cada etapa e o armazenamento das informações da Construção Civil passo a passo  são indispensáveis. Às construtoras e incorporadoras cabe o desafio de pensar em formas de automatizar, simplificar e fazer um acompanhamento minucioso da obra.

Uma das alternativas é investir em um sistema de gestão integrada especializado na construção como, por exemplo, o a W Lopes, solução completa que unifica as informações, reduz o custo, o tempo, facilita o gerenciamento de obras, empreendimentos e a gestão de processos.

Construtora para execução de Casas Residenciais? Conte com a W Lopes Engenharia para suas demandas.

Ficou na duvida ou teve interesse? Entre em contato:

  • Telefone: (31) 3335-7773
  • WhatsApp: (31) 9 8311-7336
  • E-Mail: CONTATO@WLOPESENGENHARIA.COM